De olho nos WeConters - Karime Maia

WeConters: ‘Jogar nas 11’ e a versatilidade no DNA da grande Karime Maia

Karime Maia, entrevistada deste mês, conta sua história e seu amplo leque de atuação na empresa ao longo de cinco anos de trajetória

No mês passado, começamos nosso projeto “Weconters” contando um pouco da história da nossa supervisora, Jéssica Castro. E agora você vai conhecer mais sobre a Karime Maia, nossa colaboradora do time administrativo

Há um jargão comum no mundo de futebol para atletas que jogam em diversas posições – eles são vistos como jogadores que “jogam nas 11”. É possível dizer que este traço de flexibilidade e adaptabilidade está presente no DNA dos diversos WeConters que fazem parte da nossa empresa. A colaboradora Karime Maia, do setor administrativo, é prova disto.

Isso porque a Karime participou de diversas fases da empresa. Começou a atuar com a gente em 2016, como estagiária, quando a empresa se chamava Rocha Vardiero. À época, ela cursava Contabilidade na Estácio e, um ano depois, em 2017, quando foi efetivada como Analista de Contabilidade Junior, o nome de sua empregadora, em sua carteira de trabalho, já era outro: RV Consultoria.

“Quando fui efetivada, me senti bastante desafiada. Eu não tinha tanta experiência na área de contabilidade. Era um momento que eu estava precisando muito de ajuda mas, graças a Deus, todos os que estavam na empresa foram bem prestativos comigo. Eu tinha um caderninho que eu anotava cada palavra que eles me diziam ou algum momento que eles me explicavam algo”, afirmou Karime.

O “intensivo” em outras áreas e weconters

E após um período como Analista Junior, Karime foi testemunha de mais uma mudança na empresa. A então RV Consultoria se tornou Geam. Foi neste momento que a profissional começou seu verdadeiro intensivo em quase todas as áreas da empresa.

“Depois desse início, eu acabei passando por todas as áreas do escritório, menos o setor fiscal. Quando era Geam e o escritório ainda era bem pequenininho, o departamento pessoal contava apenas com duas funcionárias. Foi quando uma das meninas ficou grávida e houve aquela dúvida do que fazer. Antes dela tirar licença, eu me ofereci ao Guilherme Brant para ajudar no DP neste período. Eu disse que não tinha experiência, mas achava que poderia aprender o básico até ela ficar de licença”, revela Karime, que explica que, depois que a profissional retornou de licença, ela decidiu partir para outros desafios.

“A partir deste momento, eu passei a ver Guilherme muito atribulado com o administrativo, com o financeiro e em busca de novos clientes, novos projetos. Eu perguntei a ele se ele estava precisando de ajuda, se ele precisava de mim para alguma coisa. Então começamos a conversar e ele me pediu uma força no setor administrativo. Aos pouquinhos eu fui assumindo e, quando vi, já estava tudo no meu colo”, conclui Karime que se diverte ao relembrar o fato de que no momento que foi para o setor administrativo, a empresa já se chamava WeCont.

Além disso, ela também conta que se identifica bastante com as atribuições de atender funcionários. Karime se considera uma pessoa prestativa, comunicativa e colaboradora, gostando de ajudar todos ao seu redor.

Banner - Blog Quiz

Saindo da caixa

O salto mais ousado nas mudanças das empresas, para ela, foi sem dúvidas na virada de chave para a WeCont. Segundo ela, alterações como, por exemplo, a transformação nos banheiros, eram vistas por ela com cautela.

“Eu fiquei um pouco assustada. Eu tenho um problema com mudança, acho que a maioria das pessoas tem. Acho que existem mudanças que assustam um pouco. Graças a Deus, a mudança foi boa. Até a questão do banheiro, que se tornou unissex, na época eu tinha um pouco de resistência, mas acabei vendo que dava certo”, revela a colaboradora do setor administrativo.

Futuro de Karime Maia

Olhando para frente, a versátil Karime afirma acreditar em um “futuro brilhante para a WeCont”. Entretanto, a entrevistada tem mais dificuldades em prever o seu próprio futuro quando perguntada.

“Difícil, converso isso com minha terapeuta e até hoje eu não consegui uma resposta (risos). Espero estar bem, com saúde. Se tudo der certo, daqui a cinco anos estarei na WeCont porque é uma empresa que eu tenho muito amor, cuido como se fosse minha. Tenho muito carinho, tenho um olhar diferente”, diz.

E se você leu esta entrevista até aqui, deve ter percebido que Karime não gosta de cair na mesmice. E é exatamente por isto que ela pensa em “completar seu álbum”, passando pelo único setor da WeCont que ainda não passou – o fiscal – além de botar em prática conhecimentos recentemente adquiridos em um curso.

“Eu fiz um curso de uma outra área, na parte de legalização. Eu já até conversei com Guilherme sobre isso. Tenho muita vontade de colocar esses conhecimentos na prática. Tenho muita vontade de completar todos os departamentos do escritório, saber um pouco do fiscal, que eu nunca trabalhei, e colocar em prática esse lado da legalização que eu nunca vi como funciona”, conclui.

Dessa forma, se nossos clientes sabem que podem contar com a WeCont, a WeCont sabe que pode contar com a Karime – e em qualquer área! Jogar nas 11 é, de fato, uma característica dos WeConters.

(Entrevista de Lucas Schuenck)

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.