Ponto de equilíbrio financeiro

Tudo sobre ponto de equilíbrio financeiro, econômico e contábil!

Os conceitos de ponto de equilíbrio financeiro, econômico e CONTábil são importantes para o planejamento financeiro de qualquer negócio. Eles têm o objetivo de informar se a empresa é capaz de custear suas operações e evitar prejuízos, o que é fundamental em momentos de crise econômica, como a que o Brasil enfrenta atualmente em razão do novo coronavírus.

Neste artigo, compartilhamos com você qual é a diferença entre cada tipo de ponto de equilíbrio, quais são as suas fórmulas e os fatores que impactam o cálculo do ponto de equilíbrio financeiro. Boa leitura!

O que é ponto de equilíbrio financeiro, econômico e CONTábil?

Os pontos de equilíbrio — break-even points, pontos de ruptura ou pontos críticos — são cálculos que buscam encontrar valores em que as entradas e saídas se igualam, ou seja, que o resultado da CONTa seja zero. A finalidade principal é informar se a empresa está sendo lucrativa ou não. Se a resposta for negativa, você poderá tomar as medidas para reverter a situação.

Para usar esses conceitos, é fundamental que você tenha informações transparentes e reais sobre as finanças e o patrimônio do seu negócio. Veja como funciona cada break-even point a seguir.

Ponto de Equilíbrio CONTábil (PEC)

O PEC é um dos cálculos mais analisados pelos gestores das empresas. Trata-se de uma representação simples dos custos e despesas fixas em relação à margem de CONTribuição unitária (MC Unit).

É importante entender que essa fórmula não demonstra lucros ou prejuízos CONTábeis, por isso ela não deve ser considerada de forma isolada na tomada de decisão. Também é importante analisar os demais break-even points e demonstrações CONTábeis.

Por outro lado, esse é um método que pode ser útil em situações de urgência, em que o gestor deve adotar uma ação rapidamente — para depois fazer estudos mais completos. Veja a sua fórmula:

  • PEC = (custos fixos + despesas fixas) / MC unit

Os custos fixos estão intimamente ligados à produção de bens e prestação de serviços, como o salário dos colaboradores — e a folha de pagamento — que realizam as atividades principais do negócio. São gastos que não se alteram a cada mês.

As despesas fixas, por sua vez, são os gastos que não têm ligação com a produção e permanecem os mesmos todos os meses. Alguns exemplos que podemos citar são: limpeza, segurança, aluguel do estabelecimento e material de escritório.

Já a margem de CONTribuição unitária (MC unit) é o dinheiro que sobra da receita depois de considerar os gastos variáveis. Para chegar a ela, você deve usar a seguinte CONTa:

  • Margem de CONTribuição = Preço de Venda – (custos variáveis + despesas variáveis)

Ponto de Equilíbrio Econômico (PEE)

O objetivo do PEE é fazer uma correção monetária — atualização do valor do dinheiro — para garantir que o dinheiro investido no negócio seja mais lucrativo que um investimento mais seguro. Ele é representado pelo custo de oportunidade na fórmula do PEE.

Imagine que você precisará de R$ 50 mil para manter o negócio. É interessante que ele gere rendimentos melhores que um investimento do mercado financeiro que geraria um rendimento de 15% ao ano, por exemplo. Isso significa que você deve colocar um custo de oportunidade de 15% junto aos gastos do PEE.

Banner - Blog Quiz

Entenda sua fórmula:

  • PEE = custos fixos + despesas fixas + custo de oportunidade (em %) / MC unit

Ponto de Equilíbrio Financeiro (PEF)

Nesse ponto de equilíbrio, você relaciona os gastos fixos do negócio e a margem de CONTtribuição unitária. Porém, não serão consideradas as despesas não desembolsáveis — como amortização, exaustão e a depreciação dos ativos — no cálculo.

Seu cálculo é o seguinte:

  • PEF = (custos e despesas fixas – gastos não desembolsáveis) / MC unit

Como calcular o ponto de equilíbrio financeiro?

O PEF é o break-even point mais amplo e muitos gestores têm dúvidas de como aplicá-lo no campo prático. Além disso, ele traz alguns aspectos que podem ser novos para muitos empreendedores. A seguir, explicamos melhor seus fatores e seu uso. Acompanhe!

Despesas não desembolsáveis

Durante o cálculo do PEF é preciso subtrair as despesas não desembolsáveis, que são gastos que diminuem o lucro da empresa, mas não geram uma saída de dinheiro no caixa.

Um deles é a depreciação, que consiste na diminuição no valor dos ativos (bens da empresa) por desgaste natural pelo uso, ociosidade do bem ou obsolescência do tempo. Por exemplo, computador e equipamentos de informática geralmente sofrem uma depreciação de 20% pelo fato de se tornarem ultrapassados com o decorrer do tempo.

Outro gasto não desembolsável é a amortização. Esse é o reconhecimento da perda da vida útil de um ativo ao longo do tempo. Imagine que seu negócio tenha adquirido uma patente que vale por 15 anos. Ela valerá menos a cada ano por se aproximar do tempo de expiração.

Por fim, nessa categoria também está a exaustão. Que consiste no esgotamento dos recursos naturais usados pelo seu negócio — como exploração de jazidas ou florestas.

Aplicação prática

Além de conhecer melhor a sua empresa, o ponto de equilíbrio financeiro é usado pelo gestor em situações específicas. Veja a seguir:

  • analisar a viabilidade do negócio, ou seja, se ele está dando resultados positivos ou negativos;
  • verificar se um projeto será lucrativo antes mesmo que ele saia do papel;
  • encontrar formas de diminuir os custos — fixo ou variáveis — na empresa;
  • tomar melhores decisões sobre os preços de seus serviços e produtos.

Auxílio de um BPO

Pode não ser fácil calcular o ponto de equilíbrio financeiro. É preciso ter um amplo CONTrole das suas finanças e ter o valor do MC Unit em mãos. Além disso, você deve realizá-la com frequência e deve saber interpretar o resultado obtido.

Entretanto, você pode terceirizar a atividade com um Business Process Outsourcing (BPO), que é um serviço altamente especializado. Na prática, você CONTrata um serviço de CONTabilidade online para cuidar das questões CONTábeis, fiscais, gestão de pessoal, legalização da empresa e mais!

Com este artigo, você entendeu os conceitos de ponto de equilíbrio financeiro, econômico e CONTábil, aprendeu como aplicá-los no campo e a sua importância. Entretanto, é necessário CONTar com um serviço CONTábil para fazer o cálculo automaticamente.

Entre agora mesmo em CONTato conosco da WeCont para entender mais sobre nossos serviços e saber como ajudaremos o seu negócio!

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.