Confira 6 dicas para uma gestão de riscos eficaz

Chamamos de gestão de riscos a identificação, avaliação, minimização e gerenciamento de ameaças ou incertezas que podem atingir qualquer negócio. Seu principal objetivo é controlar os impactos e transformá-los em oportunidades, por meio do planejamento e investimento.

Um exemplo bastante atual é o isolamento social provocado pela pandemia da COVID-19, que fez com que muitas empresas tivessem que reinventar seus modelos de negócios, procurando alternativas para garantir a sobrevivência no mercado.

Não é só uma pandemia que pode ameaçar as atividades organizacionais. Pensando nisso, separamos algumas dicas para uma gestão de riscos eficaz. Confira!

1. Conte com um bom planejamento

Uma vez que as ameaças são conceituadas como eventos que podem trazer consequências negativas para os negócios, é necessário contar com um plano de gestão de riscos.

Um bom planejamento começa a partir do conhecimento e entendimento das reais ameaças do negócio. Com essas informações, é possível pensar nas estratégias mais adequadas.

Os impactos negativos de uma ameaça não dizem respeito somente às finanças da empresa, mas também podem manchar a imagem da companhia perante o mercado. Por isso, na hora de estruturar o plano, é preciso definir como a empresa vai lidar com todos os tipos de danos.

Nesse processo, é importante ter consciência de que nem todo risco é necessariamente um problema. Uma situação adversa pode trazer consigo uma mudança positiva, desde que seja bem administrada.

2. Identifique quais são os riscos contínuos e quais são os pontuais

Um bom planejamento exige que os riscos sejam devidamente identificados. A empresa precisa buscar, reconhecer e descrever todas as possíveis ameaças, sejam elas contínuas ou pontuais. Para isso, os gestores devem listar o que a empresa pode controlar ou não.

Por exemplo, a pandemia é um evento pontual e que não pode ser controlado pela organização. Não depende da empresa decretar ou não o isolamento, nem mesmo acabar com o vírus.

É diferente de uma publicação nas redes sociais que, dependendo do teor da mensagem, pode prejudicar a imagem do negócio ou ser construída pela equipe de comunicação da melhor forma.

3. Entenda quais são os principais riscos da empresa

Para que a gestão de riscos seja um sucesso, é necessário conhecer o negócio profundamente, já que as possíveis ameaças estão diretamente relacionadas às características da empresa e ao seu segmento de atuação.

Aqui, deve ser considerado o que pode acontecer em relação ao estoque, à receita, ao investimento, à elevação de custos de produção ou matéria-prima, ao posicionamento diante do mercado e ao ativo humano do negócio.

Os colaboradores são o bem mais importante para levar a empresa para frente e conquistar os resultados esperados. Por isso, não podem ser esquecidos ou desconsiderados. A empresa deve investir tanto na contratação de perfis compatíveis com sua cultura quanto no desenvolvimento das suas habilidades e na retenção desses talentos.

Uma vez que os profissionais pedem seu desligamento, eles levam consigo todo conhecimento e experiência adquiridos durante o tempo de contrato. Dito isso, é importante que a rotatividade também seja vista como um risco. Quando a taxa está alta, prejudica a imagem da empresa e suas finanças.

Banner - Blog Quiz

4. Faça uma simulação de cenários

Quando a empresa passa a entender o real impacto das ameaças, fica mais fácil estabelecer medidas adequadas a uma gestão de riscos eficiente. Isso é possível por meio da simulação de cenários.

O objetivo é fazer com que os gestores entendam o quanto a empresa está exposta a cada ameaça, bem como quais as consequências financeiras e para a imagem do negócio.

Por exemplo, imagine que o governo estabeleceu uma nova medida de cobrança de impostos que influencia diretamente a matéria-prima utilizada para a fabricação dos produtos da sua empresa. O valor é tão expressivo que a única saída é repassá-lo ao consumidor.

A simulação de cenários permite que você encontre o caminho mais adequado para manter o bom relacionamento com esses clientes, praticar um preço justo e restabelecer os valores causando o mínimo de impacto, tanto no bolso dos consumidores quanto na rentabilidade do negócio.

Empresas que trabalham com uma gestão de riscos eficiente já estão preparadas para enfrentar esse cenário. Por isso, muitas vezes, o valor praticado pela concorrência parece irreal, quando, na verdade, ela apenas pode ter se preparado melhor para esse momento.

5. Monitore as ameaças

Após realizar todo o processo para identificar os possíveis riscos e estabelecer os caminhos que podem ser tomados para driblar cada um deles, é hora de começar a monitorar essas ameaças.

O sucesso da gestão de riscos não diz respeito a manter o plano perfeito na gaveta, mas estar sempre atento e não perder o momento certo para agir. É necessário se antecipar aos problemas, por isso, vigiar a chegada deles se torna essencial.

Dito isso, acompanhar dados da concorrência, do segmento de atuação e da área de negócios dos seus clientes e fornecedores deve fazer parte da rotina dos gestores. Além disso, manter-se atualizado sobre a situação do país e do mundo por meio dos noticiários e conversas com os parceiros de negócio pode contribuir para estar um passo à frente das ameaças.

Por exemplo, vamos supor que sua empresa compre peças de um fornecedor que mora em outra cidade. Chuvas torrenciais fora de temporada podem atrapalhar a logística de envio, prejudicando todo o seu estoque.

Se você mantém um bom relacionamento com os parceiros e acompanha as notícias, pode antecipar pedidos ou buscar outros fornecedores a tempo, caso necessário.

6. Envolva a equipe nas soluções

O planejamento e a execução da gestão de riscos devem ser apoiados por pessoas capacitadas. Colaboradores e líderes de setor têm informações valiosas sobre as ameaças que rodeiam suas funções, bem como a expertise necessária para sugerir estratégias compatíveis com as possíveis mudanças negativas ou positivas.

Contratar uma consultoria especializada também pode ajudar a encontrar soluções para preservar o negócio, como investimentos, marketing e contabilidade.

Trabalhar a gestão de riscos é bastante vantajoso para as empresas. A medida não diz respeito só à prevenção, mas também às mudanças necessárias para que todo negócio possa otimizar seus recursos e se manter sustentável em um mercado tão competitivo. Adote essa estratégia!

Como a sua empresa reagiu à pandemia? Conte para a gente aqui nos comentários.

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.